28 de novembro de 2014

Chegámos à Nova Zelândia.


Já vamos na nossa 4ª noite de Nova Zelândia mas só agora deu para escrever. Os lugares onde paramos, são perfeitos, só lhes falta mesmo ter rede.
A viagem foi longa. Só o Manel conseguiu dormitar em cima dos pais que não pregaram olho.
À entrada da NZ o controlo é apertadíssimo, pior que nos EUA, embora tudo seja feito com mais simpatia. Tem botas sujas na mala? Tem restos de comida? Até uma mini caixinha de gomas que a avó tinha dado ao Manel, tivemos de declarar. Sentia-me culpada só por ter roupa suja no saco e ter uns ténis rotos e com nódoas. Aliviada de ter passado, sem pagar os 400 dólares que ameaçavam em cartazes enormes.
Chegados, fomos para o Motel perto do aeroporto. Era pior que mau, mas suficientemente bom para dormir umas horas e tomar um banho quente. Custava 80 eur, o mais barato que encontramos, num subúrbio sem graça, mas perto do local onde levantaríamos a autocaravana pela manhã seguinte.
Já me tinham dito que era tudo caro, mas nunca pensei que fosse tão caro. Quando fomos ao supermercado, ficamos aterrorizados com os preços!
A Caravana é pequena com a vantagem de ser fácil de guiar e de ter 3 lugares à frente para não perdermos pitada. Tem 2 camas (o tecto é subido) uma delas em mezanine. De manhã toca de desmontar e por os sofás e a mesa, à noite toca a montar tudo outra vez...Tem uma pequena zona de cozinha e ...não tem casa de banho!  Dia sim dia não, vamos tentar parar em campings com duche e no “dia não” vamos a balneários públicos, ao xixi. Há-os por todo o ladoJ outra opção é sempre a mãe natureza.
São 13 horas de diferença,  e as temperaturas estão baixas para quem vai começar o verão em Dezembro, as mínimas chegam aos 10 graus. A noite passada dormi de colete de penas e com o nariz gelado.
Mas nada disto interessa quando começamos a sair de Auckland e a ver estas paisagens de sonho!!!

 1ª noite na Caravana


 1º por do sol tirado pelo manel

 está feliz na nova casa a fazer legos

 Porto Russell. 1º dia de sol.

 foi na padaria que o manel comprou mais um posta,l para enviar aos amigos da escola de quem tem muitas saudades.




 casa típica de madeira, esta é do sec XIX

 mega arvore no nosso caminho em Russell


 é assim...tudo organizado, tudo limpinho e até banquinhos para nos sentarmos a rir, e tudo isto só porque sim. Povo pacato, acolhedor e simpático.

2 comentários:

  1. Família viajante! Beijinhos de Helsínquia!

    ResponderEliminar
  2. Sofia, Os lugares onde param, são perfeitos, por NAO TEREM rede. :-) beijos

    ResponderEliminar