9 de dezembro de 2014

Wellington num Parking


Dormimos 3 noites em Wellington sem encontrar um camping, apenas parkings de hostels ou de motels nos aceitavam, a troco de 15$ por pessoa com direito a usar a casa de banho e a cozinha. Uma roubalheira! O Motel mais barato custava 100$ o que é uma fortuna por um lugar básico para dormir, por isso optamos pela caravana e pelo parque de estacionamento. No primeiro, fomos os últimos a chegar e ficamos colados ao lixo (não dava para abrir a janela e só queria sonhar que estava noutro lugar), no ultimo ficamos 2 noites e o hostel era engraçado, deixando de ser tão mau estar no parking. 
O tempo estava cinzento e muito frio, com ventos que nos abanavam enquanto dormíamos.
Wellington foi considerada a cidade mais cool do mundo, em 2011. Tem alguns cafés com graça, restaurantes com pinta e a cuba´s street onde a  “gente cool” se passeia. As lojas de segunda mão, que eu adoro, são as únicas existentes, bem como objectos vintage de um passado recente Neo Zelandês. Muito interessante. Apenas com meia dúzia de prédios, numa espécie de financial district, toda a gente tem a sua casinha, com jardim, trampolim para as crianças e barco, com vistas magníficas e uma vida que nos parece bem pacata.
Os subúrbios de Wellington são baías e mais baías, colinas e mais colinas com casinhas de madeira, sem trafico e sem dificuldade de chegarem onde querem.
Visitamos o Te Papa Museum, o maior museu da NZ, com vários andares a mostrar a história e a arte do país que foi povoado há apenas 200 anos.
Depois de irmos ao jardim botânico, subimos no cable car , que aparece em todos os postais (que não vale nada a pena) e avistámos uma cidade que parece meia adormecida.
Nunca vi o Hobbit nem o Lord of the Rings, não são o meu género de filme, mas fomos espreitar a produtora que fez estes e outros filmes como o Tintin e o King Kong. Peter Jackson é sócio da produtora Weta Cave e encontrou aqui o lugar e as pessoas indicadas para fazer os efeitos especiais e as maquilhagens extraordinárias de grandes produções Hollyodescas.
Já chega de cidade, vamos mas é para o campo! saudades das ovelhinhas!

 fogueira no camping antes de chegarmos a Wellington


aqui dormimos, sozinhos com o som da passarada

 a caminho

 cidade, ainda antes de chegarmos

 muitas lojas de velharias ou vintage, como queiram, pelo caminho.


kilos de quinquilharia 

 Te Papa Museum, a fazer uma Selfie.

 Bill Culbert, Neo Zelandês que esteve na Bienal de Veneza

Baías nos arredores de Wellington




 assistimos a um jogo de criquete

 cable car

 o ponto alto do Jardim Botanico para o manel. Porque é que não temos parques infantins assim ?:(



 Jardim só de rosas que parece não ter graça, mas daqui já dava para sentir o cheiro incrível das varias cores de rosas

 a foto não mostra cheiros, é pena...

 wellington sunday mood :) fato de treino é universal!!!!!

 cable car para a foto

 nas produções Weta Cave




 Cuba Street

 comemos fora pela 1ª vez. "Mae, isto são oculos?" e explicar-lhe que eu ouvia musica com isto...??? complicado...

 cuba street







3 comentários:

  1. Ontem vimos em família o filme do Senhor dos anéis, coincidência! Não seria nada o meu gênero de filme mas quando começas a ver é fascinante! Continua a contar histórias!

    ResponderEliminar
  2. Não acredito na cena do dormir junto ao um caixote do lixo até que me mostres uma foto! Ir à aventura é isto: umas vezes bom, outras mau mas sempre com uma historia no fim. Mas isso sabes tu melhor que ninguem! ;-)

    ResponderEliminar